Espetáculo QUAQUARELA

QUAQUARELA é um espetáculo criado a partir de brincadeiras folclóricas, quadrinhas, parlendas e adivinhas populares. Nessa peça, o Bando de Brincantes dá continuidade a características marcantes de sua trajetória: inspiração no universo infantil, diálogo com a cultura popular, música ao vivo, movimentação acrobática e materiais artesanais. Os brincantes em cena constroem uma sequência de situações lúdicas, nas quais a brincadeira transforma constantemente o ambiente, as situações e as atmosferas. 

Em cena, pintor de Jundiaí, boneca de lata, boneco de pano, boi bumbá, pirata da perna-de-pau, bruxa da manteiga, velha a fiar, o galo e a galinha e muito mais.  Os figurinos, cenário e adereços também são inspirados na estética de manifestações folclóricas. Assim, chapéus, perucas, perna-de-pau, bonecos, etc auxiliam na transformação de personagens e cenas. Há uma íntima ligação entre falas e canções na composição dramatúrgica. Partindo da experiência de trabalhos anteriores, o Bando brinca com criações populares, em um diálogo vivo e contemporâneo, com o objetivo de mobilizar os sentidos e instigar a imaginação. 

O espetáculo venceu os Prêmios Tibicuera de 2013:

Melhor Dramaturgia (Viviane Juguero), Melhor Ator (Éder Rosa) e Melhor Trilha Sonora

Tendo recebido indicações também para Melhor Espetáculo; Melhor Produção; Melhor Direção (Viviane Juguero); Melhor Atriz (Viviane Juguero)

“Como o roteiro alinha um sem número de canções e outras passagens, oriundas de todas as regiões do País, é difícil citar alguma delas. Na verdade, nem é este o caso: o que vale, de fato, é o conjunto selecionado, a evidenciar a riqueza e a variedade de nosso folclore que se vai, gradualmente, perdendo. Viviane tem uma belíssima voz, que sabe utilizar com eficiência. Toneco da Costa é um extraordinário violonista e Éder Rosa, além de malabarista, é um ator alegre e virtualmente flexível, de modo que pode encarnar as figuras mais variadas. O espetáculo todo, por isso mesmo, é um momento de magia: suspendemos a realidade do dia a dia e nos deixamos levar por esta pequena nostalgia, de um lado (os mais velhos) ou a curiosidade do recém-descoberto (os mais novos), de modo a se constituir uma espécie de comunhão de gerações, momento verdadeiramente mágico, como referi, porque une aquilo que, em geral, encontra-se fragmentado, quando não perdido. Este tipo de espetáculo deveria chamar a atenção das autoridades educacionais e ser prestigiado: é o tipo de trabalho que deveria constituir programa obrigatório de crianças no primeiro grau, talvez até para professores.” Fragmento de comentário escrito pelo Prof. Dr. Antonio Hohlfeldt no Jornal do Comércio.

Leia a crítica na íntegra no link http://www.bandodebrincantes.com.br/?pg=11262
Veja comentários do público no link http://www.bandodebrincantes.com.br/?pg=11250

Ficha Técnica:

Dramaturgia e direção: Viviane Juguero

Direção musical e arranjos: Toneco da Costa

Figurinos, adereços e preparação corporal: Éder Rosa

Iluminação: Miguel Tamarajó (Jacka)

Elenco: Éder Rosa, Toneco da Costa e Viviane Juguero

Cenário, divulgação e produção: o Bando

Fotos: Christian Benvenuti, Bruno Gomes e Kati Wichinieski

Criação de material gráfico: Propaganda Futebol Clube

Direção técnica de materiais promocionais: Telmo Martins

Realização: Bando de Brincantes

Contatos:
www.bandodebrincantes.com.br / brincar@bandodebrincantes.com.br
(51)3392-0181 / 9818-8918
 

site produzido por metamorfose - agência digital