JOGOS DE INVENTAR na televisão

Em 2018, a minissérie de animação JOGOS DE INVENTAR estará nos canais de TVs Públicas de todo o Brasil!

A dramaturgia da minissérie de animação audiovisual para bebês, intitulada Jogos de inventar, criada por Viviane Juguero, com base no histórico pregresso desta obra da autora, originalmente intitulada Jogos de inventar, cantar e dançar, foi veiculada nas formas de espetáculo cênico-musical e livro/CD, validados por meio de diversas formas de reconhecimento, como os prêmios Açorianos de Música de 2010 e Tibicuera de Teatro de 2012. O livro/CD está em 3ª edição, esteve presente em quatro edições do projeto Eu Faço Cultura e é utilizado em escolas de todo o Brasil.

A criação dos roteiros foi fundamentada nos estudos que Viviane Juguero desenvolve ao longo de vários anos. Nesses estudos, a autora propõe que os trabalhos para crianças sejam elaborados com base na noção de lógica lúdica do pensamento infantil por ela elaborada com o intuito de criar trabalhos artísticos que dialoguem com o pensamento infantil,  instiguem, divirtam e propiciem à criança um envolvimento perceptivo, afetivo e cognitivo.

As cenas que compõem a minissérie acontecem em dois planos distintos: o da realidade e o da fantasia. No espaço “real”, as crianças inventam suas brincadeiras, instigadas por proposições de um livro e por uma amiga imaginária adulta, que surge somente em off. Esse espaço é composto por um tapete e um relógio situados em um local, sem nenhuma caracterização. A partir do giro em espiral do tapete ao centro, as crianças vivenciam aventuras fantásticas realizadas em cenários mais concretamente delimitados, como, por exemplo, uma pracinha, um navio em alto mar ou uma floresta. A intenção é propiciar percepções plurais por meio da ambiguidade desta composição artística.

Foram evitados marcadores socioeconômicos tanto na elaboração das personagens quanto na composição espaço-temporal, como forma de viabilizar uma identificação inclusiva. Há, no entanto, a marca sociocultural regional, apresentada de forma sutil e orgânica.  Na construção das personagens, por exemplo, foram priorizados traços mestiços, enfatizando características afro-brasileiras e ameríndias, além da intencional utilização da construção gramatical das falas de Porto Alegre (segunda pessoa do singular conjugada na terceira), sem estereótipos, mas sim, fluente e natural, como acontece no cotidiano da nossa cidade.

O trabalho instiga a percepção de artes integradas, motivando experimentações sensório-motoras, inventivas e cognitivas, por meio de movimentações e vocalizações extracotidianas. As crianças representam distintos personagens, imitam animais, criam seres e vocalizam objetos, além de, eventualmente, cantarem melodias em conjunto ou em solo.

Embora tenhamos as idades como referências para a construção de um grupo multietário, as personagens não possuem uma relação realista com o desenvolvimento concreto. O trabalho apresenta uma composição artística sintética dos elementos estéticos e axiológicos presentes no conjunto, desenvolvida de forma pedagogicamente responsável e propositiva de percepções, elaborações e experimentações.

Jogos de inventar é um convite para uma grande brincadeira constituída por diálogos imaginários, perceptivos e afetivos.

 

PERSONAGENS:

QUIQUE

Menino mestiço negro, com cincoanos, olhos castanhos e cabelos crespos e escuros. Tem porte robusto e é bastantesimpático. Muito criativo, inventa palavras com frequência. Pratica ginástica artística e capoeira.

JUJU

Menina mestiça negra, comsete anos, olhos castanhos e cabelos escuros e encaracolados. Tem espírito de liderança e se movimenta de forma dançada. É muito atenta e astuta.

MIGUI

Menino mestiço claro, de trêsanos, com cabelos castanhose olhos azuis. É muitoágil. Adora esportes e está sempre pronto para novas aventuras. Apesar de pequeno, posiciona-se ativamente, propondo brincadeiras no grupo.

SHAY

Menina mestiça nissei, com quatro anos, cabelos lisos e olhos negros. É curiosa, delicada, muito determinada e corajosa. Apesar de quietinha, apresentasuas ideias ao grupoe sempre entra no jogo.

MIRO

Menino mestiço ruivo, de seis anos, com olhos castanhos e cabelos arrepiados. Muito divertido, mostra-se bastante interessado em compreender e elaborar explicações sobre as situações que se encontram. É bem maroto e também muito companheiro da turma.

DODÓ

Menina ameríndia de dois anos, com cabelos negros e lisos. A caçula da turma tem personalidade e opinião. Usaa terceira pessoa para se referir a si mesma. É muito inteligente e espontânea, faz associações livres e ingênuas, como é característico no período inicial da infância. 

 

Voz em off:

A voz em off é a amiga imaginária das crianças. Representa tanto a arte que convida a brincar quanto o papel maternal de aconchego, apoio e incentivo, além de ressaltar a importância da relação das crianças com os adultos na primeira infância, estágio do desenvolvimento infantil a partir do qual a criança se constitui como sujeito e traça elementos fundamentais de sua personalidade. Essa voz em off sempre apresenta provocações a associações que convidam à brincadeira, sem conduzir à ação. Tem a função dramatúrgica de vincular as canções dos episódios à ação, estabelecendo uma unidade que integra a narrativa do início ao fim. A voz em off é uma companheira afetiva das crianças, as quais protagonizam a cena de forma autêntica, autônoma e colaborativa.

 

Ficha Técnica:

Vozes: Carmen Lima, Éder Rosa, Gisela Habeyche, Jorge Vieira, Viviane Juguero e Wagner Madeira.

Criação e Roteiro:  Viviane Juguero

Direção geral: Pedro de Lima Marques

Assistente de Direção: Denise Marchi

Produção Executiva: Daniela Israel

Assistente de produção: Thais Brito

Arte Conceitual: Monika Papescu

Direção de Arte: Ane Schütz, Monika Papescu e Giulia Palermo
Ilustração: Ane Schütz, Bruna Gonda e Giulia Palermo

Diretor Musical: Everton Rodrigues

Direção de Animação: Lisandro Lopes

Artistas de animação: Anttonio Pereira, Filipe de Andrade, Guilherme Xavier Klein, Marina Teixeira Kerber, Ronaldo Sabin e Ronaldo Boeira Corrêa.

Layout: Thiago Pedruzzi

Storyboard: Lisandro Lopes

Animatic: Victoria Ketzer

Sound Design: Kiko Ferraz
Estúdio: Kiko Ferraz Estúdio

Coordenação de pós-produção: Pedro de Lima Marques
Assistente de pós-produção: Thiago Pedruzzi e Victoria Ketzer

Financeiro: Suzana Guimarães Marques

Contabilidade: Aliança - Contabilidade e Assessoria Empresarial

Preparação de Voz: Marlene Goidanich

Consultoria Pedagógica: João Pedro Alcantara Gil e Tânia Ramos Fortuna

Cosultoria poético-dramatúrgica: Jorge Rein

Consultoria de Roteiro: Ulisses da Motta Costa

Consultoria Jurídica: Gabriela Padilha

Produção: Bactéria Filmes

Projeto original: Bando de Brincantes

Financiamento: Fundo Setorial de audiovisual 

site produzido por metamorfose - agência digital